Informa Naviraí - DOMINGO, 19 DE NOVEMBRO DE 2017
02 de NOVEMBRO de 2017 | Fonte: G1

Caldi homenageia Dominguinhos no álbum autoral 'A sanfona é meu dom'

Instrumentista virtuoso que sobressai nos toques da sanfona e do piano, o compositor e arranjador carioca Marcelo Caldi enfatiza a habilidade para manusear um acordeom já no título do terceiro álbum, A sanfona é meu dom, previsto para chegar às plataformas digitais neste mês de novembro de 2017 por vias independentes. A edição em CD será posta à venda através do site oficial do artista.


Com repertório inédito composto por 11 temas de autoria de Caldi, o álbum A sanfona é meu dom sucede o também autoral EP Maré cheia, maré baixa (2014) – lançado há dois anos – na discografia solo do músico. No atual álbum, Caldi exercita o dom de tocar sanfona na gravação de parcerias com músicos e compositores como o bandolinista Hamilton de Holanda (parceiro e convidado do Forró da Paraíba), o trompetista Silvério Pontes (coautor de Forró do hey) e o flautista PC Castilho (parceiro no baião ZambuBahia).


Em composições de criação solitária, Caldi celebra Dominguinhos (1941 – 2013) na valsa-choro obviamente intitulada Homenagem a Dominguinhos – gravada somente com os toques das sanfonas de Caldi, Bebê Kramer e Kiko Horta – e saúda o violonista Yamandu Costa no jazzístico tema Yamandouche. A quadrilha Bagunça boa, a valsa Antiga como nosso amor e o choro Tortuoso são outras músicas compostas por Caldi sem parceiros e gravadas no álbum A sanfona é meu dom, cujo repertório também inclui o Xote do Guriatã, parceria do acordeonista – fundador em 2015 da primeira Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro – com o compositor Sérgio Ricardo. O disco foi produzido pelo próprio Marcelo Caldi.


(Crédito da imagem: capa do álbum A sanfona é meu dom. Marcelo Caldi em foto de Leo Aversa. Arte de Cynthia C)



GALERIA DE FOTO Show Anitta Campo Grande
Untitled Document